24 jun 2014
estradas-brasileiras

A situação das estradas brasileiras é crítica

A falta de infraestrutura nas rodovias nacionais é um dos grandes problemas do Brasil. Além de matar milhares de pessoas ao ano, o mau estado das estradas brasileiras gera prejuízos de bilhões de reais. A falta de recursos e o descumprimento dos projetos são fatores que contribuem para essa precariedade.

A BR-163 é uma amostra das piores estradas brasileiras. De Mato Grosso até a divisa com Santarém são 980 km de extensão. Dessa dimensão, 460 km ainda são de terra.  No estado do Pará, num trecho de 112 km, que vai de Itaituba a Rurópolis, foi aberta uma estrada no início dos anos 70. No entanto apenas recentemente a pavimentação da via começou a ser feita.  Nesses locais citados, os viajantes, principalmente os caminhoneiros, têm enorme dificuldade para fazer o transporte de cargas. A situação se agrava ainda mais quando chove. Nesse período, forma-se muito barro, prejudicando a locomoção. Bastam poucos minutos de chuva intensa para alagar as estradas.

Outra localidade que chama a atenção pelas péssimas condições de estrutura é a BR-101, principal rodovia do país. Muito antiga e sobrecarregada pelo grande movimento de veículos, suporta mais que o dobro da sua capacidade. A duplicação teve início no ano de 2006, porém as empreiteiras não concluíram a obra, que foi colocada novamente em processo de licitação para que outra empresa passe a administrá-la. Essa obra deveria ter sido finalizada no ano de 2012, mas até hoje ainda há muito trabalho a ser feito na região. A Federação das Indústrias de Santa Catarina calculou um prejuízo de R$ 30 milhões em razão desse atraso. E além dos danos financeiros, que afetam bastante o estado, muitos acidentes graves ocorreram nela, ocasionando muitas mortes.

Ainda na BR-101, em uma parte já duplicada, que cruza a parte urbana da grande Florianópolis, está localizado o trecho mais perigoso das rodovias federais do Brasil. Nesse espaço, em somente 16 meses, 248 pessoas perderam a vida no trânsito. Para reduzir esse número absurdo, o governo criou um projeto: uma via para evitar o tráfego pesado dentro da cidade. Porém, um ano depois do prazo estipulado para a conclusão dessa via ela ainda nem começou a ser construída, uma situação que se repete em vários lugares do país.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte fez um estudo sobre a situação das vias no Brasil e apurou que apenas 10,8% das rodovias federais não têm asfalto. Já nas estradas estaduais, essa porcentagem aumenta para 43,7%. As rodovias municipais apresentam a pior condição: 92,2% estão sem pavimentação. Desse modo, a malha rodoviária brasileira, que conta com aproximadamente 1,7 milhão de quilômetros, apresenta hoje pouco mais de 10% de estradas asfaltadas. Essa precariedade no calçamento das estradas atrasa o desenvolvimento do país, que depende, em grande parte, do transporte de produtos feito por vias terrestres. Além disso, os problemas de estrutura dessas rodovias prejudicam a rotina da população e geram cada vez mais transtornos.

Situação das Estradas Brasileiras atrasa a economia

Créditos Youtube – Fiesc Net

Deixe seu cometário

1 Comentário para “Situação das estradas brasileiras é crítica”

Cotação Online

1. Dados do Cliente

2. Origem e Destino

3. Tipo de Transporte

Por favor, selecione o tipo de veículo a ser transportado.

Tipo de veículo:

4. Dados do Veículo