28 maio 2014
carros rebaixados

Rebaixamento deve seguir regras determinadas por lei

A paixão de alguns motoristas por carros estilizados faz muitos deles modificarem não só a cor e alguns acessórios do veículo, mas também o sistema de suspensão e amortecimento dos automóveis, criando o que é conhecido no mercado como carros rebaixados.

Entretanto, mais do que pensar no visual, é preciso levar em conta a segurança na hora de escolher o tipo de alteração que será feito nas molas do veículo. Afinal, a mudança do centro de gravidade do carro pode impactar a aerodinâmica, a estabilidade e o conforto durante o uso.

Técnicas mais eficientes

O método escolhido para realizar o rebaixamento definirá se haverá ou não necessidade de trocar ou modificar as peças do automóvel. No que diz respeito à substituição de peças, a troca da suspensão fixa por uma de rosca ou com sistema de ar é extremamente confiável, já que dessa forma é possível manter o conforto e a estabilidade do veículo.

Em relação à alteração dos componentes do carro, as técnicas mais utilizadas são o corte, o encolhimento e o deslocamento da base da mola, procedimentos que, se forem realizados por um profissional capacitado, podem oferecer resultados bastante satisfatórios e seguros.

O que deve ser evitado

Entre as várias maneiras existentes para rebaixar um veículo, algumas são bastante perigosas e podem colocar a vida do condutor e dos passageiros em risco. Geralmente, esses meios de rebaixamento são escolhidos por serem mais simples e apresentarem baixo custo, o que, nesse caso, pode sair caro demais.

A retirada das molas da suspensão é sem dúvida uma prática errada, mas ainda muito comum. Esse processo não está de acordo com as leis nacionais de trânsito e pode estragar o automóvel. Outro método arriscado é o esquentamento da mola para unir seus elos. Isso pode alterar a característica da liga de metal do produto e afetar sua eficiência.

Legislação

Recentemente o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) realizou algumas alterações legais que permitem o fluxo de carros rebaixados nas ruas com algumas ressalvas. A principal delas está no fato de que qualquer veículo de até 3.500 kg pode ser rebaixado, desde que a altura máxima em relação ao solo não seja menor que 10 cm. Outra recomendação é que as rodas não podem encostar em nenhuma parte da carroceria.

Seguindo essas determinações e realizando procedimentos seguros, o proprietário pode rebaixar o veículo a seu gosto.

Saiba mais sobre carros rebaixados – Auto Esporte

Deixe seu cometário

Cotação Online

1. Dados do Cliente

2. Origem e Destino

3. Tipo de Transporte

Por favor, selecione o tipo de veículo a ser transportado.

Tipo de veículo:

4. Dados do Veículo